imagem superior

KairósCasa Kairós

A palavra grega Kairós é utilizada para designar o momento certo ou oportuno de um acontecimento. Esse acontecimento, no entanto, representa um fato importante e marcante que instaura o novo, um novo significado, uma nova forma de relacionar-se com a vida.

Kairós refere-se a um aspecto qualitativo do tempo. Um tempo que não pode ser medido. Mas pode ser sentido, percebido, acolhido com a alma e o coração. É diferente, portanto, de Cronos de onde vem o que chamamos de tempo cronológico, medido pelo relógio e pelo calendário. A sabedoria para realizar algo no momento oportuno geralmente não nos chega através de uma ‘marquinha’ aleatória em determinado dia do calendário. Perceber e explorar um momento oportuno requer uma atitude criativa e atenta, o estar presente. Estar em sintonia com Kairós requer uma disposição pessoal para o auto-conhecimento, uma reflexão sobre as necessidades próprias e de pessoas envolvidas.

Essa é uma maneira de pensar o tempo e os acontecimentos de forma participativa. É viver não apenas a partir de um tempo pré-estabelecido, como se tudo já estivesse pronto e ordenado, mas aguçar a sensibilidade para descobrir a melhor oportunidade de participar e fazer acontecer.

Por isso a escolha do nome para o nosso local de trabalho (Casa Kairós) e grupo de dança (Grupo Kairós). É uma forma de afirmar que no nosso trabalho não só Cronos está presente, afinal ele também é necessário, mas que cada um de nós possui sensibilidade, criatividade e liberdade para conferir significado aos acontecimentos da vida.

Casa Kairós

A Casa Kairós está situada no Morro Ipiranga, no bairro da Barra. Um lugar ao mesmo tempo tranqüilo e próximo de avenidas de fácil acesso, como a orla e a av. centenário. O espaço dispõe de duas salas amplas, uma para aulas de dança e trabalhos corporais, e outra para práticas psicoterapêuticas individuais e em grupo. O estacionamento é fácil no local. Além disso, dispõe de uma bela vista para o mar.

Grupo Kairós

Desde 1995 quando foi realizado nosso primeiro espetáculo, surgiu o desejo de manter um grupo que se dedicasse mais profundamente à dança do ventre e criasse apresentações públicas não só à maneira tradicional da dança, mas com um caráter também inovador. Foi, então, que no espetáculo seguinte para teatro, Meera, surgiu um trabalho diferenciado com figurinos, cenário e coreografias concebidos a partir de um olhar contemporâneo. Mantivemos essa mesma concepção nos trabalhos posteriores: Naia e Zahra.

Além do aprimoramento técnico, é importante para o Grupo a descoberta de uma linguagem subjetiva que expresse uma dimensão mais sutil da arte da dança. Procuramos, então, através de laboratórios expressar os conteúdos que mais nos envolvem no momento. Como somos um grupo de mulheres, muitos desses conteúdos referem-se ao universo feminino. Unimos assim, em seguida, a linguagem técnica da dança com esses conteúdos subjetivos, no intuito de criar um espetáculo que vá além da forma já conhecida da dança, mas que expresse algo próprio desse grupo e do universo feminino.

O Grupo Kairós atualmente é composto pelas dançarinas: